Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

quinta-feira, dezembro 16, 2004

Declamar o amor

Declamar o amor

Descobri o amor, sentinela lacrimosa
Posso ser o que quiser, por este fogo
Navegar por caravelas glamorosas,
Mostrar o desejo por ti agora ou logo,

Posso me transformar na cor da areia,
Ser mar em revolta, fingir que morro
Perseguir o teu cheiro, dizer que corro,
Posso te chamar linda, perfeita sereia.

Mil coisas posso declamar porque amo,
Verdade é ver espelhada em ti a lua cheia
Sonhar toda a noite, seres quem chamo

És a fêmea aranha que me mata na teia,
Gotas juntas descobrem nos olhos um lar
Declamando juntos a beleza do verbo amar.


Assin: António Moreno

2 Missivas:

  • Blogger litle lucy, escreveu…

    :o sabes, meu poeta, cada vez mais as tuas palavras se tornam pequenas bolhinhas de sabão que gentilmente percorrem o meu corpo arrepiando.o
    Beijo te amigo**

     
  • Anonymous Anónimo, escreveu…

    Por que nao:)

     

Enviar um comentário

<< Voltar