Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

quinta-feira, dezembro 09, 2004

Tua presença



Teus lábios lascas de corais,
Teus olhos espelhos de destino,
Tudo perfeito e penso em ti nua,
Apenas prevejo os sonhos reais,
Eu que sou como um menino
Deitado na tua cama limpa e crua

Fintando tuas ondas de fascínio
Apenas excesso dum amor passado
Sereno estou sob o teu domínio
Não te decifro, mas estou marcado
Amor encarniçado com lascivo caminho.
Amor lacrado em cio e do sol escondido
Tua alma um intenso esconderijo
Caverna desse mar enorme e perdido
Clamas de amor que te dirijo
Obscenamente do amor acendido
Porque abundas, porque me afundas.
Não temas o sonho, o sonho não finda,
Ao meu olhar molhado em ti estampado
És tu deusa tão linda...

Assin: Artur Rebelo (2004-09-12)

1 Missivas:

Enviar um comentário

<< Voltar