Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

terça-feira, dezembro 21, 2004

Regatos

Regatos

Num sentido errado descobri o silêncio,
Era algo obtuso em mergulho de sabor,
Silencio é sabor do pensamento imenso,
Diagramas na mente são o meu redentor.

Doces águas, perante jogos e artimanhas,
A natureza do mundo é muralha de actos,
Experimentando o meu corpo em chamas
Reflectindo, pensando... A vida são regatos.

Sumindo em dentro de mim, descobri,
Que não vivo, apenas sonho a sentença
Morro de dor já não sei, penso e sumi...

A carne não dói, sente volúpia, clemência,
Regatos desta vida, pensativa, repartida
Estou cansado, penso a vida quase perdida.

Assin: António Moreno

1 Missivas:

  • Blogger litle lucy, escreveu…

    cansadas as tuas palavras
    mas smo belas*

     

Enviar um comentário

<< Voltar