Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

quinta-feira, março 24, 2005

Não me lembro...

PensandoTeus olhos desfeiteiam a mágoa partida,
Gestora da minha profana incerteza,
E blocos de pedra esmagam a ocasião,
Depois de perdida, depois da beleza,
O pó do lençol espremido em lentidão
És sonho do passado atirado ao coração.
Talvez até nem sejas, já não sei,
Afinal nem quero saber o que sinto,
Tu minha menina, ficas onde és sentida,
Escancarada nua no meu corpo de cheiro,
O teu ventre rompido pela minha vida,
Tal como o Inverno sem Janeiro...
Tal como a lua de prata do céu caída,
Pela tua imagem o amor me fez prisioneiro...
Pensando


Assin: Artur Rebelo

2 Missivas:

  • Blogger Palavras de Algodão, escreveu…

    Talvez seja um dos poemas que mais me tocou, Artur.
    "Tu minha menina, ficas onde és sentida,
    Escancarada nua no meu corpo de cheiro,
    O teu ventre rompido pela minha vida,
    Tal como o Inverno sem Janeiro..."
    Beijo grande, grande!
    NB: Este, vou levá-lo comigo.

     
  • Blogger Lana, escreveu…

    Gostei mt deste post...ta mt bem conseguido..:) mesmo..

     

Enviar um comentário

<< Voltar