Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

quarta-feira, março 16, 2005

Meu peito ejaculou...


Paraíso aqui perto e fundo...
Quero aprender o segredo,
Do alimento profundo...
...a tua cama onde me entra,
Para descobrir sem medo,
A tua boca que em mim se deita...
Tuas coxas são meu mundo,
Não as largo tão cedo,
Entre lençóis teus sou um vagabundo,
Teu corpo retido tuas nádegas de aperto,
Gemidos de amor em ti ecoavam,
Puxei para mim o teu calor,
Sinceramente já não sei o que é certo...
Meus dedos húmidos deslizavam,
Tua cama o ninho onde me deito,
Onde jorra incessante o sexo.
Assim exposta, está o sabor perfeito,
Acaba o tempo numa convulsa,
Na cama do teu leito,
Ainda se escuta a respiração profunda,
Lençóis sujos de suor, amarrotados de prazer,
Junto ao acto emotivo em conceito,
Apenas sinto que no meu amor já liquefeito,
Fizeste ecoar os gemidos do meu ser
E meu peito ejaculou rarefeito...


Assin: Artur Rebelo
2005-03-16

2 Missivas:

Enviar um comentário

<< Voltar