Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

segunda-feira, março 14, 2005

Toco-me na solidão...



Em rugas de prazer
Me abraças firme,
Medo? Medo o saber
Do fogo que progride...
O fogo é apenas sonhado,
A objectividade que não existe...
Sou homem mulher com fálico crer,
Sou homem que é violado
Pelo golpe de a ti não ter,
Já não me lembro como é ser tocado,
Já não me lembro como é teu ser...
Agora somente o estremecer isolado...
Desce a mão ao objecto de guerra,
Subiu a minha sensação de prazer,
Sem o teu cheiro, a libido enerva,
Teu ser em imagens me encerra.
Imagens na mente de te foder,
Onde a masturbação me leva...


Assin: Artur Rebelo
2005-03-10

4 Missivas:

  • Anonymous Anónimo, escreveu…

    as tuas palavras rasgam-me o peito, mergulham na mente e lá ficam
    lindissimas palavras poeta

    beijo rose**

     
  • Blogger Lana, escreveu…

    adorei...simplesmente..adorei..desde o titulo ao último ponto...lindo..

     
  • Blogger Uma estrela errante, escreveu…

    Lindo,lindo....

    Um beijo

    Isa

     
  • Anonymous Anónimo, escreveu…

    "Já não me lembro como é ser tocado,
    Já não me lembro como é teu ser...
    Agora somente o estremecer isolado..."

    lindo***
    fada_O

     

Enviar um comentário

<< Voltar