Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

domingo, abril 03, 2005

O que é? Silencio



Rogo-lhes que a apaguem...
Na explosão corrida e abafada,
Que contribuí com a procura do silencio,
Que faz sonhar a lingua encantada.
Rogo-lhes apenas que apaguem
A voz do silencio que grita o nada...
Rogo-lhes que a voz amarrem...
Na presença ingénua da esperança
E levanta hinos surdos dos gritos de ceda.
Mas esses hinos escutam com a lembrança,
Tal os sons que deixam esculpir a peçonha azeda,
Que é tolhada nas margens do silencio,
Que muda o grito alto e duro sem lembrança,
Até apenas haver soluços e não o lamento.
Este é o poema que grita o silêncio.

Artur Rebelo

5 Missivas:

  • Blogger Maharet, escreveu…

    beijo*

     
  • Blogger Vera Cymbron, escreveu…

    Gostei deste poema diferente.
    Tu escreves bem dobre tudo...com todas as palavras.
    Jinhos

     
  • Blogger Vênus, escreveu…

    "Há um silêncio dentro de mim.
    E esse silêncio tem sido
    a fonte de minhas palavras."

    Poesia mínima de Clarice Lispector..Cabe aqui, no seu silêncio e ouço daqui, atravessa o oceano...
    bjs
    NANE

     
  • Blogger Vênus, escreveu…

    "Há um silêncio dentro de mim.
    E esse silêncio tem sido
    a fonte de minhas palavras."

    Poesia mínima de Clarice Lispector..Cabe aqui, no seu silêncio e ouço daqui, atravessa o oceano...
    bjs
    NANE

     
  • Anonymous fadadafloresta, escreveu…

    Artur,
    se todo o silêncio fosse quebrado c as tuas palavras...seria um mundo perfeito!
    gostei :)
    bj
    Fada_O

     

Enviar um comentário

<< Voltar