Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

quarta-feira, maio 25, 2005

No corpo que se mente...

No corpo que se mente,
Numa linha de areia
Arrepia e encolhe,
Queimando na estrada ardente
O meu suor que escorre
Nesse teu corpo de sereia...
Que meu ser agora diferente
Com orgasmo o premeia,
Entre nosso amor
O cheiro quente
Entre nós vagueia
No corpo que se sente
E com nosso se percorre.


Assino: Artur Rebelo

6 Missivas:

  • Blogger Uma estrela errante, escreveu…

    Belo sensual!
    Gosto muito de te ler!

    beijo*

    Isa

     
  • Blogger persephone, escreveu…

    confesso que ja tinha saudades de te ler..
    Continuas um grande pintor de palavras mágicas

    um beijo
    Rose*

     
  • Anonymous o mocho, escreveu…

    Um poeta só escreve desta maneira se estiver apaixonado pq um poeta é acima de tudo um homem. O poema está divinal. Parabens.

     
  • Blogger BlueShell, escreveu…

    Cuidado com o encantamento da sereia...
    texto muito bom...
    Jinhos, BShell

     
  • Blogger Vera Cymbron, escreveu…

    Sensual até dizer basta...lindo desenho...
    Jinhos

     
  • Anonymous patricia, escreveu…

    muito bonito mesmo. sorte tem essa sereia por receber de alguem tão sinceras demonstrações. beijinhos

     

Enviar um comentário

<< Voltar