Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

domingo, maio 15, 2005

O corpo não fala.


Se o teu corpo falasse,
Diria que meu corpo não pensa,
Diria que o meu sangue é quente...

Se a tua natureza me amasse,
Seria do brilho a espera
Do atropelo do calor que se sente...

Na intensidade que assim se revela
Das crateras do peito absorvente,
A todo toque que nas bocas assenta
Tal como a língua húmida que mente,
Nada estraga essa tua essência
Que filtra o abafo do sentir,
Com o amor aberto na ausência
Colo teus sucos aqui dentro
Da tua vulva o descobrir
Os líquidos que embutem o relento.
Talvez, não porque me amas,
Mas porque na cama a mim chamas...
E nos lençóis de cetim me estendo.

Assino: Artur Rebelo

2 Missivas:

  • Anonymous Anónimo, escreveu…

    poesia pura.

    nada mais a dizer

    rose*

     
  • Blogger Vera Cymbron, escreveu…

    Maravilhoso...e o corpo fala, sabias?!
    Jinhos

     

Enviar um comentário

<< Voltar