Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

domingo, janeiro 02, 2005

Desespero...

Desespero

Meu amor é triste, não fica
Meu amor é algo que existe,
Amo a ti minha flor branca e rica,
Rica pelo teu regaço que persiste,
Meu amor por ti é assim,
Rastilho de sonho que não desiste,
Verdadeiro em festa, como um jardim,
És tudo o que resta mesmo sem o momento...

Fica aqui, fica por mim,
Dificil de esquecer este sentimento.

Não me queixo que vás,
Não me queixo que me deixaste,
O pior, em mim ainda estás,
O teu perfume doce não levaste,
Ficaste aqui dentro, permaneces cá.
Apaga este fogo cor de carmim,
Apaga-me o fogo que incendiaste.

Fica aqui, fica por mim,
Dificil esquecer o que cá deixaste.

Dificil é assim viver,
Meu amor continua e persiste.
Dificil este amor esquecer,
Meu amor por ti continua triste.


Assin: Artur Rebelo (2005-01-02)
(Incluído na colectânea "Dores")

Foto: Titulo "Female nude" de Rick Gayle retirado do site CORBIS

2 Missivas:

  • Blogger litle lucy, escreveu…

    "amor que para mim nao existe
    amor que já não doi
    amor que já não faz sorrir
    amor que não esxiste mais
    num mundo que eu criei.."

    gosto mt de te ler e cada vez mais beijo rose*

     
  • Anonymous Anónimo, escreveu…

    "Meu amor por ti continua triste."

    poema mto tiste, tlvez devido a isso goste deles

    vou passar a ca vir

     

Enviar um comentário

<< Voltar