Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

segunda-feira, janeiro 24, 2005

Divorciei-me de mim,



Para aliviar e travar as penas,
Envidrei-me dos momentos eternos,
Facturei-me em vómitos de cenas,
Notas de dor e presença de infernos...
Desisti de mim... desisti sim...
Meu corpo mais cadáver que moderno,
Revesti-me no caixão de veneno,
Divorciei-me de mim...
Apesar de homem sou pequeno,
Desisti de mim... Desisti sim...
Morro demasiado cedo, sei porquê...
Casei com o fim... Tenho medo...
Embalo-me na solidão de espuma
Nenhuma mão no horizonte me vê...
Estou no deserto do viver, na duna,
Duna profunda do meu apodrecer,
Casei com o fim... sim, casei com o fim...
Morto estou, moribundo e a morrer,
Divorciei-me de mim...

Assin: Artur Rebelo

5 Missivas:

  • Blogger litle lucy, escreveu…

    aqui estou eu


    Sempre tua {fiel amiga}

    Rose**

     
  • Blogger isa xana, escreveu…

    que poema esmagadoramente "negro"
    muito bem escrito*

     
  • Blogger Vera Cymbron, escreveu…

    Não te admito esse divórcio!
    Espero que nunca o consigas com ninguém!
    Jinhos...poema demasiado triste para dizer seja o que for.

     
  • Blogger Maria Branco, escreveu…

    Artur,
    Apesar de inquietantes as tuas palavras são sempre belas! Espero que este divorcio não se concretize nunca.. Momentos há na vida, em que nos apetece desistir de tudo, de nós.. Mas, o tempo sábio suaviza as dores, e lentamente vamos recuperando o ânimo, a vontade de abraçar a vida e de a desfrutar com intensidade e plenitude... Divorcia-te desse fim, e que agora seja o principio de uma nova fase, que ela, vida, te traga tudo o que mais desejas.. Luta por isso, sempre..
    Um abraço forte! Beijos

     
  • Blogger Uma estrela errante, escreveu…

    Gostei muito do teu poema!
    Apesar de toda a tristeza que revela.
    Eu sei que és um lutador.
    Beijo
    Isa

     

Enviar um comentário

<< Voltar