Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

sexta-feira, fevereiro 18, 2005

Vossos Corpos.



Me entrego à deriva saudável
Onde vos desejo ternamente nuas
Possuem um veneno adorável,
Como cascavéis-mulheres e eternas,
Quero degustar os corpos nas ruas...
Tantas que eu foco, imaginando festas,
Ternas, o tal brilho das suas cavernas,
Seus olhos cruzam promessas.
Quero beber a magia onde me afio,
Quero sentir tais cavernas,
Que descubro e onde me enfio.
Com fome de descobertas intensas
Com cheiro de amor no ar onde me fio
Venero as vossas sentenças.
Ardendo em tesão o amor crio...
Uso e abuso da paixão que me assiste,
Vontade imprópria flúi como um rio...
Expludo em licores de amor...
O corpo não mais resiste,
Aos vossos corpos de ardor...

...corro riscos de paixão.
...corro riscos de abuso.
...corro riscos de tesão...
...Não sei estou confuso.

...Mas corro riscos de acordar,
Desta incarnação...
...de não saborear, os vossos corpos.
O corpo da Mulher onde tenho o coração.

Assin: Artur Rebelo

9 Missivas:

  • Blogger litle lucy, escreveu…

    Que poesia, meu doce...
    é lindo lindo lindo lindo

    Um beijo enorme com carinho
    Rosita

     
  • Blogger Lana, escreveu…

    "O corpo da Mulher onde tenho o coração."

    Gostei :)

     
  • Anonymous Mar Revolto, escreveu…

    Olá;

    Que bom ver-te por cá novamente, já estava com saudades da tua escrita e dos momentos como este que acabo de ler..., lindo!
    Bom fim de semana
    Beijo

     
  • Blogger Vera Cymbron, escreveu…

    A tua poesia aquece-me o corpo de mulher...
    Jinhos

     
  • Blogger Uma estrela errante, escreveu…

    Gostei!
    tenho saudades da tua poesia diaria.
    beijo

     
  • Blogger litle lucy, escreveu…

    hey... que é feito das tuas palavras meu principe?

     
  • Anonymous Menina_marota, escreveu…

    Gostei do poema... e do blog. :-)

     
  • Blogger soldeinverno, escreveu…

    desculpa... tenho andado meio ocupada para visitar-te... mas é sempre com surpresa que te leio... lindo este poema... Volto sempre...

     
  • Anonymous Anónimo, escreveu…

    sem comentários...
    n sei definir o que sinto ao ler-te...
    gosto!
    beijo
    fada_O

     

Enviar um comentário

<< Voltar