Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

sábado, fevereiro 05, 2005

Noite...



Uma noite silenciosa,
Talvez noite de choro,
É noite asquerosa...
Criada e nascida numa prisão,
É o escuro onde moro,
Lençóis frios uma lição...

Esta noite, faz-me sentir
Num olhar despedaçado de luar
Esta noite de mim vou fugir,
Pois estou enleado pelo teu amar.
Noite a febre que atordoa,
Rasgada tontura no meu olhar...

Esta noite é rainha sem coroa...
Minha pele grita quando toca a tua,
Meu corpo odeia e se arrepia,
Nesta noite roliça da lua...
Aflorada no sentir renascida...
Noite amante sem estar nua...
Mas...
...a noite é sempre amada e querida,
Nela se despem...
Os corpos da nossa vida.

Artur Rebelo

8 Missivas:

  • Blogger litle lucy, escreveu…

    belissima poesia Artur cmo ja nos tens habituado..
    adoro ler te e sabes bem disso
    um beijo do tamanho do mundo Rose**

     
  • Blogger Uma estrela errante, escreveu…

    Bom poema, gostei muito.
    Beijo
    Isa

     
  • Blogger lena, escreveu…

    há tudo nas palavras que escreves, balanço no seu encanto
    parabéns

    beijos salgaditos

     
  • Blogger R/B Estação, escreveu…

    Gostei de conhecer a tua poesia que li com muito prazer.
    Um abraço.

     
  • Blogger Vera Cymbron, escreveu…

    Não tenho palavras para ti hoje...tudo o que escreves mexe tanto comigo.
    Jinhos

     
  • Blogger Lana, escreveu…

    /me suspira...

     
  • Anonymous Anónimo, escreveu…

    Boas... noites, Artur!

    Xi,
    Cláudia

     
  • Blogger litle lucy, escreveu…

    um beijo


    rose*

     

Enviar um comentário

<< Voltar