Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

segunda-feira, abril 18, 2005

Angústia...


Os ventos querem conhecer o sonho,
Do que antes era salino,
Imagens ao pesadelo medonho,
Das rosas que nascem na ferrugem
Pois voam calmos sem destino...

Momentos querem conhecer o sonho,
Tocado pela seiva do desejo agora,
Do segundo que passa em segredo,
Combustão do corpo fúria que cora,
Alicerces dum minuto sem medo...

Sentidos tortos nascem nos pesadelos,
Da raiva filtrada na memória
E que transformam nos penedos
Ao néctar que assim nasceu,
Morreu demasiado cedo,
E acabou dentro dum sonho
Como líquido seminal azedo...

Assin: Artur Rebelo

5 Missivas:

  • Blogger Vênus, escreveu…

    Artur, quando vc escreveu este poema?
    É lindo e triste.
    Bjs

     
  • Anonymous Anónimo, escreveu…

    É mesmo um poema muito triste.
    Quando te leio, fazes lembrar a tristeza. A grande Tristeza.
    Acho que poderás ser um grande poeta.

    Enviei para o seu email o meu contacto, gostaria de falar consigo.

    Vanessa Ribeiro

     
  • Blogger litle lucy, escreveu…

    Artur, és um Poeta.
    Um verdadeiro poeta que mostra os seus verdadeiros sentimentos.

    Este poema é deveras triste. a imagem assusta um pouco.

    Deixo te um abraço apertado
    principe de algodao doce*;)

    Rose*

     
  • Blogger Uma estrela errante, escreveu…

    Quanta tristeza.....

    Tu és um grande Poeta!


    Obrigada pelos lindos poemas que nos presenteias todos os dias.

    Beijo

     
  • Blogger Vera Cymbron, escreveu…

    Arrepiei-me com a foto...Artur por favor escreve-me algo diferente...dói tanto ler-te...eu sei que as palavras são lindas, mas dói, percebes?!
    Quero-te em paavras bonitas...
    Jinhos

     

Enviar um comentário

<< Voltar