Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

domingo, abril 17, 2005

A dor caminha na memória...


Toda a minha vida pensei como seria ganhar um ferimento,
A dor, o sangue, mas ganhei esse ferimento,
Não um ferimento fisico,
mas um ferimento de amor,
Que doi mais na alma, aqui dentro...
Não sei se era da passagem do tempo,
Mas era algo evidente,
Algo que agora não me lembro bem...
Tenho alguns anos vividos,
E quando me lembro de um certo alguém...
Parece que sonho esse corpo que aquece,
mas tudo bem, essa imagem logo desaparece...
São momentos nostalgicos,
Momentos que existem
E saem a uma velocidade despida de medo...
É evidente que a minha visão é tolhida de justiça,
Mas é evidente o que quero dizer! Nem é segredo,
De que perdi muito,
Perdi quase tudo pela preguiça de não perceber,
Os sinais que me deste,
Os avisos agrestes que não eras ninguém...
Pois eu tratei-te como ninguém...
Depois a tua justiça num severo momento chegou e ditou o fim...
Do que antes era amor agora é utopia...
Apenas digo no xadrez desta agora paixão,
Eu era Rei e tua Rainha, mas mudei de notação enfim...
Mantiveste o teu titulo mas eu passei a peão...
Agora apenas desejo o destino da fantasia,
De que é esquecer o que aqui dentro mora,
Talvez um dia...
Por enquanto o meu coração ainda te adora.

Assin: Artur Rebelo
(Incluído na Colectanea "Dores")

6 Missivas:

  • Anonymous Anónimo, escreveu…

    Não sei quem és, não preciso de saber. Tu escreves duma maneira fenomenal. As palavras que dizes são tudo o que sinto agora.
    Que poema, até chorei.

    Vanessa Ribeiro

     
  • Blogger litle lucy, escreveu…

    destaco apenas:
    "Agora apenas desejo o destino da fantasia,
    De que é esquecer o que aqui dentro mora,
    Talvez um dia...
    Por enquanto o meu coração ainda te adora."

    és belo
    nao me canso de o dizer

    um beijo Rose*

     
  • Anonymous fadadafloresta, escreveu…

    artur
    arriscaria dizer que este poema te "retrata" bem...
    não deixes que a dor viva em ti...
    "E quando me lembro de um certo alguém...
    Parece que sonho esse corpo que aquece,
    mas tudo bem, essa imagem logo desaparece..."
    Adorei ler-te mais uma vez!
    sem palavras!

    beijo doce
    fada_O

     
  • Blogger Vênus, escreveu…

    Artur, cada vez mais belos, mais sentidos...Até na dor o amor é belo...
    Enviei o nome da música, vc recebeu?
    BEIJOS E ÓTIMA SEMANA!
    NANE

     
  • Blogger Uma estrela errante, escreveu…

    Lindo, lindo apesar de ser muito sofrido.
    Sorri!

    Beijinho

    Isa

     
  • Anonymous Menina_marota, escreveu…

    A dor maior, não é a física.
    A dor maior é a da alma...

    Como te percebo...

    Abraço :-)

     

Enviar um comentário

<< Voltar