Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

segunda-feira, junho 20, 2005

Câncer...



Afogo os lábios sangrando a quente
Docemente na dádiva da fraqueza
Pelo estranho encantamento que amua
Afogando o sabor demente
Criado no corpo da natureza
Que se encerra entre o ser que recua
Nas lágrimas frias que a boca sente
Rendidos no sabor da identidade
Do sonho salgado da saudade...
Essa cor na minha boca somente
Faz acordar a recordação que dá medo
Aqui dentro colou
Até minha boca ficar seca
Dos sentidos que morrem cedo
Afogo os lábios na morte fria
Corpo de calor agora um rochedo
A solidão corre no sangue sem quantia
As carícias que se perdem no tempo
Há-de o chegar o dia
Espero esse dia em que termina
O sofrimento...

...que o corpo mina.


Assino: Artur Rebelo

(Dedicado à Carla que não resistiu mais e faleceu no Sábado 2005-06-18, com apenas 22 anos.)
Carla não me esqueço da tristeza do teu olhar quando na última vez que te vi faz agora uns 2 meses e entraste no café, entraste com o teu lenço na cabeça despida de qualquer alegria, alegrias que desapareceram mas que já as tiveste. E beleza que tinhas, continuará por entre todos os que te conheciam.

Descansa em paz...

5 Missivas:

  • Blogger Uma estrela errante, escreveu…

    Gostei muito da tua mensagem dedicada á tua amiga.

    Fiquei triste!

    Beijinho

    Isa

     
  • Anonymous Anónimo, escreveu…

    Querido Artur,
    deixaste aqui uma linda homenagem.
    Tens um coração de ouro.

    Infelizmente à certas doenças que são tão dificeis de combater, levando quem mais amamos..

    Um abraço apertado,
    Rose****

     
  • Blogger Desconhecida, escreveu…

    Linda mensagem a uma amiga desaparecida...também tenho alguns que já cá não estão e, custa tanto...

     
  • Blogger Cathy, escreveu…

    Nao sei quem era mas o facto de ser-me familiar o porblema pelo qual a dita pessoa passou, sinto-me triste pelo que lhe aconteceu.
    Fico feliz por saber que ela teve amigos como tu capazes de lhe dedicar palavras...pois as palavras sejam la de que tipo forem, umas vez ditas, tornam-se imortais... OCmo ela ficará na memoria...tua,minha,nossa...Beijos e Que descanse em paz.

     
  • Anonymous Cris, escreveu…

    Arrepiei-me a ler...Tenho no meu colo uma Susana, com 22 anos também. Está a viver um momento doloroso...custa-me pronunciar a palavra, esse título, perdoa. Não te consigo dizer mais nada.Um beijo doce.

     

Enviar um comentário

<< Voltar