Instantes Perdidos

Instantes que se perdem na vida rodopiante e alucinada... Instantes escritos em poesia na busca da perfeição.

terça-feira, julho 05, 2005

Não quero perguntar...


Nesta pergunta que em mim ecoa
Perante teus olhos vazios,
Nas portas que se fecham
A palavra que não perdoa...
Mas teus olhos negros e frios,
Revolvem o meu corpo
Que espera calado e quente
Mas teus olhos ainda vazios...
Que na tua náusea aqui presente
Perante essa cor negra disposta
A noite depressa passa e voa
No grito de censura a resposta
Mas teu coração...
Esse não mente...
Sabes?
A pergunta que jaz aqui,
É só uma, mas eu até sei a resposta!
Pois o teu coração nada sente,
Nada sente por mim...

Assino: Artur Rebelo (2005-07-05)

2 Missivas:

  • Blogger Cathy, escreveu…

    Eu também prefiro não perguntar arthur...sabes,hoje o dia correu-me tão mal e por mais que tente ser positiva, tenho tanto medo de perguntar a alguém se me ama, porque, tenho medo que a resposta seja diferente daquela que eu desejo...
    Estou tão triste, precisando tanto de alguém..amigo...
    Gostei do poema, fica bem e beijinhos...
    m0rena

     
  • Anonymous AGALRITO, escreveu…

    quando fazemos perguntas destas é porque sabemos a resposta... tão dura resposta...
    este poema toca em todos os filamentos de vida...
    força, que o amanhã é já...
    anagalrito

     

Enviar um comentário

<< Voltar